15 março, 2016

Devaneios sem sentido | 1

(Imagem retirada daqui)

Não lido bem com a passagem do tempo. Nunca lidei. Talvez, por isso, seja uma eterna criança, cheia de sonhos na cabeça e com medo de encontrar monstros debaixo da cama.

Não lido bem com a perda. Com o 'ir embora'. Quando era criança, fazia birras enormes quando o meu avô saía para trabalhar ou para ir ao café. Lembro-me de me agarrar à mão dele e puxá-lo para que ele não fosse embora. Não raras vezes, fazia-me a vontade, adiando os compromissos por minha causa. Não raras vezes, prometia que não demorava e que, na volta, me traria rebuçados e sugos. Cumpria sempre a promessa.

Não lido bem com a saudade. Já lidei pior. No entanto, continuo a viver muito agarrada ao que já passou. Cada vez menos, é certo. Mas ainda há muito apego dentro de mim.

Não lido bem com a distância. Preciso dos afectos presentes, dos abraços ali à mão de semear. Por isso, admiro tanto quem está longe, quem consegue estar longe, muito longe e, mesmo assim, fazer-se presente.

Hoje estou cansada e dorida. Andei a arrumar parte da casa. Destralhar. Mudar móveis de sítio. Limpar. Reorganizar. Cada vez me custa mais fazer as coisas simples que exijam algum esforço físico. Esta doença [fibromialgia] começa a fazer mossa. Tolda-me o discernimento e deixa-me ansiosa e zangada por o meu corpo não me corresponder como quero e preciso. Tenho de respirar fundo, encontrar conforto cá dentro e continuar. Há dias em que precisava de um abraço que me atenuasse a dor.

14 comentários:

  1. Tu és tão parecida à minha mãe em tantos sentidos...

    ResponderEliminar
  2. Olha, também não lido nada bem com nenhuma dessas coisas. Então com a passagem do tempo... Parece que sinto sempre uma corda ao pescoço porque vejo os anos a passar e de ano para ano parece que estou sempre no mesmo lugar... (por isso odeio fazer anos ahah).

    Espero que hoje à noite consigas descansar bem e amanhã estejas melhor das dores :) forcinha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também detesto fazer anos!! Obrigada querida :)

      Eliminar
  3. Eu sou muito apegada à minha família e para o ano vou sair de casa e viver para longe o que vai significar não estar perto deles. Sei que me vai custar muito e que as saudades vão ser enormes mas também sei que é algo que faz parte do meu crescimento e desenvolvimento enquanto pessoa e ser humano.

    Beijinhos, Style and Life by Marta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mais uma etapa da tua vida onde irás aprender coisas novas e crescer! Vai correr tudo bem :)

      Eliminar
  4. Eu percebo-te... também não lido muito bem com a distância mas a vida obrigou-me a aprender e ainda bem :) so close no matter how far

    Espero que fiques melhor :)

    ResponderEliminar
  5. infelizmente os abraços atenuam apenas as dores de alma

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade...mas era bom que também atenuassem as do corpo!

      Eliminar
  6. Vai daqui um abraço para ti. Às vezes precisamos 'dauele' abraço, outras, o conforto encontrado no abraço de um desconhecido também faz milagres :)

    ResponderEliminar
  7. Um grande e fortr abraço daqui! Muita força! Vai correr tudo bem :)

    ResponderEliminar
  8. Entendo-te bem, não é fácil, no entanto é possível viver com a saudade, por vezes as circunstâncias da vida obrigam-nos a tal e vamos aprendendo e vamos também fazendo uma adaptação a essa nova realidade, ainda assim, nunca é fácil.

    ResponderEliminar